MUSB15 – Composição VI

Professor: Marcos da Silva Sampaio

Ementa

Continuação de Composição Musical V: Estudo e prática de Técnicas Composicionais – manipulação e exploração de elementos musicais do século XX, politonalismo, pós-tonalismo, atonalismo, serialismo, aleatorismo e audição comentada de obras representativas do século XX, com ênfase em obras de pequenas dimensões.

Conteúdo programático

  1. Serialismo
  2. Teoria Pós-Tonal
  3. Teoria de Relações de Contornos Musicais
  4. Apresentação e discussão do trabalho criativo
  5. Composição para formações camerísticas até orquestras de pequenas dimensões

Avaliação

A avaliação nesta disciplina é realizada mediante trabalho de composição e trabalhos semanais realizados ao longo do semestre (ver descrição mais adiante).

Nota

A média final é equivalente à média ponderada das notas dos trabalhos, com os seguintes pesos:

  1. Trabalhos semanais (peso 3)
  2. Composição final (peso 7):
    1. avaliação da primeira metade da composição (peso 2)
    2. avaliação da segunda metade da composição e conjunto final (peso 5)

Dessa forma, a média final será calculada pela equação 1, onde M representa a média, a, a soma das notas das miniaturas, b, a nota da primeira metade da composição final e c, da segunda metade e conjunto da composição.

 (eq.1)

Os trabalhos serão aceitos apenas se:

  1. forem entregues em versão elaborada em software apropriado, via Dropbox ou email.
  2. forem entregues impreterivelmente no prazo, no início da aula marcada para a entrega.

A composição final deverá ser entregue por meio digital, via email.

Critérios de avaliação

Os critérios gerais de avaliação são:

  • Cumprimento do objetivo da tarefa
  • Equilíbrio
  • Capacidade de explorar recursos de composição
  • Capacidade de explorar os domínios da música (timbre, altura, duração, textura, etc.)
  • Cuidados com a apresentação da partitura (composições)
  • Criatividade

Segunda chamada

O aluno que não entregar um dos trabalhos no dia marcado terá direito a entregar na aula seguinte se a requerer até dois dias úteis após a sua realização comprovando-se umas das seguintes situações:

  1. direito assegurado por legislação específica
  2. motivo de saúde comprovado por atestado médico
  3. razão de força maior, a critério do professor.

A nota atribuída em segunda chamada substituirá a nota zero, e a falta à segunda chamada implicará na manutenção automática e definitiva da nota zero. Para maiores detalhes consultar o Artigo 115 do Regulamento de Ensino de Graduação.

Estrutura das aulas

As aulas são divididas em exposição de conteúdo, análise interativa de obras e orientação dos trabalhos dos alunos.

Cronograma

Este cronograma é uma previsão e poderá ser alterado ao longo do semestre.

Leituras da banda: 05 e 07/12, 15:45, com Joel Barbosa

Trabalhos

Exercícios semanais

Os exercícios semanais são pequenos fragmentos com aplicação dos conteúdos apresentados em aula.

[Tópicos em construção]

  1. Entrega em 26/10. Definir uma série e harmonizar com tetracordes da própria série. evitar pares de 2as e 3as consecutivas. Apresentar 3 a 5 ocorrências. Variar a maneira de acompanhar. Indicar o que ocorre. Para piano.
  2. Entrega em 09/11. Definir uma série e harmonizar com tetracordes da própria série. Evitar construir série com pares de 2as e/ou 3as consecutivas. Compor miniatura com três seções, a primeira de textura homofônica, a segunda, contrastante com a primeira, contrapontística, e a terceira de retorno à primeira (ABA’). Para orquestra de câmara (OSUFBA)
  3. Entrega em 16/11. [Straus, cap. 1 – contraponto].  Escrever pelo menos dois breves duetos entre instrumentos de orquestra de voz de contralto e soprano que tenham as características: a) começar com Dó central no contralto e Si sétima acima no soprano, b) usar semibreves como no contraponto de primeira espécie, c) o intervalo entre as partes deve ser um membro de ic1, ic2 ou ic6, d) cada parte pode mover-se para cima ou para baixo por in1, in2, in3 ou in4 [opcional]. e) terminar na nota que começou, f) dar um contorno atrativo, significativo para ambas as melodias.
  4. Entrega em 23/11. [Straus, cap. 2]. Escreva uma pec?a curta para o seu instrumento na qual o principal senso de direc?a?o e? provido pela transposic?a?o sucessiva direcionada e propositada de um conjunto de classes de notas de sua escolha.
  5. Entrega em 30/11. Compor uma miniatura para orquestra de cordas (1 minuto) com base em 2 classes de conjuntos diferentes. Esses conjuntos devem ocorrer superpostos em algum momento da peça. Utilizar operações diversas (transposição, inversão). Utilizar uma forma ABA.
  6. Entrega em 07/12 Eliminado em função da leitura
  7. Entrega em 14/12.

Composição final

A composição final deverá ter duração de 5 a 7 minutos e formação equivalente à Orquestra Sinfônica da UFBA (1111,1111,1 perc.,cordas).

Análise

Ao longo do semestre as obras listadas serão analisadas em conjunto durante as aulas:

Orquestra

[em construção]

  1. http://imslp.org/wiki/Symphony_No.5,_Op.64_(Tchaikovsky,_Pyotr)
  2. http://imslp.org/wiki/Rapsodie_espagnole_(Ravel,_Maurice)
  3. http://imslp.org/wiki/Russian_Easter_Festival,_Op.36_(Rimsky-Korsakov,_Nikolay)
  4. http://imslp.org/wiki/5_Pieces_for_Orchestra,_Op.16_(Schoenberg,_Arnold)
  5. http://imslp.org/wiki/Symphony_No.5,_Op.60_(Scriabin,_Aleksandr)
  6. Carter, Elliott – Three Occasions for Orchestra (Boosey and Hawkes, 1992)
  7. Penderecki, Krzysztof. Paixão Segundo São Lucas

Câmara

[em construção]

  1. Schoenberg, Op. 25. Prelúdio
  2. Webern, Op. 21
  3. Webern, Op. 25. http://bit.ly/2ztkUki
  4. http://imslp.org/wiki/String_Sextet_No.1,_Op.18_(Brahms,_Johannes)
  5. http://imslp.org/wiki/Music_for_Strings,_Percussion_and_Celesta,_Sz.106_(Bart%C3%B3k,_B%C3%A9la)
  6. http://imslp.org/wiki/Octandre_(Var%C3%A8se,_Edgard)

Notas e frequência

As notas dos alunos estão disponíveis no link abaixo e serão atualizadas durante o curso:

Distribuição de notas

O gráfico abaixo apresenta a distribuição da média final da turma. O
eixo X contém faixas de notas (entre 0 e 1, 1 e 2, etc.) e o eixo Y
contém o número de alunos com média final dentro das faixas.

Bibliografia

Adler, Samuel. 1989. The Study of Orchestration. 2nd ed. Vol. 8. New York, NY: W.W. Norton and Company.

Rahn, John. 1987. Basic Atonal Theory. MacMillan Publishing Company.

Sampaio, Marcos da Silva. 2012. “A Teoria de Relações de Contornos Musicais: Inconsistências, Soluções E Ferramentas.” Tese de Doutorado. Universidade Federal da Bahia.

Sampaio, Marcos da Silva, and Alex Pochat. 2016. “Aplicação de Contornos Na Composição Musical.” In Perspectivas de Interpretação, Teoria E Composição Musical, edited by Heinz Karl Novaes Schwebel and José Maurício Valle Brandão, 13–28. Salvador, BA: EDUFBA.

Schoenberg, Arnold. 1967. Fundamentals of Music Composition. Faber and Faber.

Straus, Joseph Nathan. 1990. Introduction to Post-Tonal Theory. Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall.