MUSB14 – Composição V

Professor: Marcos Sampaio (sampaio.marcos@ufba.br)

1. Ementa

Estudo e prática de Técnicas Composicionais: manipulação e exploração de elementos musicais do século XX, politonalismo, pós-tonalismo, atonalismo, serialismo, aleatorismo e audição comentada de obras representativas do século XX, com ênfase em obras de pequenas dimensões.

2. Objetivos

Ao final do curso espera-se que o estudante seja capaz de:

  1. Utilizar variados princípios de organização de alturas na Composição Musical.
  2. Compor em formato de miniatura
  3. Compor para formações camerísticas diversas, como quarteto de cordas, quarteto de trombones, etc.
  4. Compor para banda sinfônica

3. Conteúdo programático

  1. Politonalidade
  2. Serialismo
  3. Conjunto de classes de notas
  4. Procedimentos imitativos
  5. Organização total
  6. Indeterminância: improvisação, aleatoridade, indeterminância, música formalizada
  7. Música experimental
  8. Efeitos especiais
  9. Apresentação e discussão do trabalho criativo
  10. Composição para formações camerísticas até orquestras de pequenas

4. Metodologia

Aula expositiva dialogal (atividade síncrona e gravada) e discussão sobre os tópicos abordados em fórum (atividade assíncrona).

Os conteúdos serão apresentados a partir do estudo do repertório e a sua compreensão ocorrerá mediante realização de trabalhos práticos de composição e análise realizados semanalmente.

5. Ambientes virtuais utilizados

  • Moodle (AVA) UFBA
  • Google Meet Institucional

Toda a comunicação e entrega de trabalhos será realizada via Moodle (fóruns, diário e chat do sistema).

6. Avaliação

A avaliação será realizada mediante os seguintes trabalhos:

  1. Composição de 3 miniaturas para formações diversas, cada uma relacionada com um princípio composicional previamente definido.
  2. Composição de 3 exercícios básicos, para treinamento dos conteúdos estudados.
  3. Composição de uma obra de duração de 3 a 4 minutos para banda filarmônica, com uso sistemático de pelo menos um dos princípios de organização de alturas abordados no curso.
  4. Relatório sobre a composição final com a demonstração da aplicação dos princípios de alturas abordados no curso.
  5. 5 Relatórios demonstrando o progresso semanal na realização do trabalho final.

6.1. Nota

A nota do semestre será equivalente a uma média ponderada do resultado obtido nos trabalhos, de acordo com os seguintes pesos:

  1. Miniaturas 1 a 3 (peso 3)
  2. Exercícios 1 a 3 (peso 1)
  3. Composição final (peso 3)
  4. Relatório sobre a composição final (peso 1)
  5. Relatórios semanais sobre composição final (peso 2)

Os trabalhos serão aceitos apenas se forem entregues:

  1. em versão elaborada em software de editoração de partitura (ou similar)
  2. no prazo definido na interface do ambiente virtual de aprendizagem (AVA/Moodle)

Nenhum trabalho poderá ser entregue por email ou outra via que não o Moodle.

6.2. Critérios de avaliação

Os critérios gerais de avaliação são:

  • Cumprimento do objetivo da tarefa
  • Equilíbrio
  • Capacidade de explorar recursos de composição
  • Capacidade de explorar os domínios da música (timbre, altura, duração, textura, etc.)
  • Cuidados com a apresentação da partitura (composições)
  • Criatividade

As notas serão definidas de acordo com o seguinte critério:

Nota Entregue Solicitações cumpridas Aspecto de interesse especial Aspecto de algum interesse
100% X X X -
90% X X - X
80% X X - -
50% X - X -
40% X - - X
10% X - - -
0% - - - -

6.3. Segunda chamada

O aluno que não entregar um dos trabalhos no dia marcado terá direito a entregar na aula seguinte se fizer a requisição até dois dias úteis após a sua realização comprovando-se umas das seguintes situações:

  1. direito assegurado por legislação específica.
  2. motivo de saúde comprovado por atestado médico.
  3. razão de força maior, a critério do professor.

A nota atribuída em segunda chamada substituirá a nota zero, e a falta à segunda chamada implicará na manutenção automática e definitiva da nota zero. Para maiores detalhes consultar o Artigo 115 do Regulamento de Ensino de Graduação.

O estudante deverá criar o hábito de fazer backup dos seus trabalhos e projetos. A perda de dados não será aceita como justificativa para dilatar o prazo de entrega.

7. Assiduidade e pontualidade

Na modalidade remota, a frequência será verificada a partir da entrega dos trabalhos.

8. Cronograma

O conteúdo e dias das aulas do cronograma abaixo poderão ser modificados de acordo com a necessidade e eventualidade.

9. Trabalhos

Todos os trabalhos deverão ser entregues via AVA/Moodle. Para cada trabalho, subir para o repositório os devidos arquivos PDF e MP3. Evitar arquivos .wav.

9.1. Miniaturas

Duração de 30 segundos a 1 minuto.

Todas as miniaturas deverão ser entregues em formato digital na data definida no cronograma. As partituras e partes deverão ser entregues impressas na aula da semana posterior.

Conteúdo, formação e prazo a definir.

9.1.1. Possíveis formações instrumentais para as miniaturas

Combinações de sopros:

  • Quarteto de trombones
  • Quarteto de trompetes
  • Duo de clarinetes
  • Duo de oboés

9.2. Exercícios básicos

Pequenos exercícios solicitados pelo professor. Duração curta e, geralmente, para instrumento solo. Os detalhes serão definidos ao longo do semestre.

9.3. Composição final

9.3.1. Instruções

  • Formação: Banda sinfônica
  • Duração: 3 a 4 minutos
  • Composição final - ver data de entrega no cronograma

9.3.2. Instrumentação

  • Flautim
  • 2 flautas
  • 3 clarinetes (1 requinta)
  • 2 Sax alto
  • Sax tenor
  • 2 Trompas
  • 3 Trompetes
  • 3 Trombones
  • Tuba
  • Bombardino (em Dó)
  • 2 Percussionistas (bombo, caixa e prato)

9.4. Relatório

O relatório deverá demonstrar como a técnica para alturas escolhida está em uso na composição final. Deve conter exemplos musicais e duas a cinco páginas de extensão. Formatação de artigo (modelo a definir).

10. Análise

Ao longo do semestre uma seleção dentre as obras listadas será analisada em conjunto durante as aulas:

[Em construção]

10.1. Música de câmara

10.1.1. Piano

  1. Bartók, Bagatelles Op. 6
  2. Bartók, Mikrokosmos, 59
  3. Bartók, Mikrokosmos, 101
  4. Bartók, Mikrokosmos, 125
  5. Bartók, Mikrokosmos, 131
  6. Brahms, Intermezzo. Op. 118, n. 2
  7. Beethoven, Piano Sonata n. 8 Op. 13
  8. Bloch, Sonata for Piano
  9. Chopin, Prelude n. 2
  10. Debussy, Claire de Lune
  11. Ginastera, Danzas Argentinas
  12. Lizst, La campanella
  13. Milhaud, Saudades do Brazil, Sorocaba
  14. Mozart, Piano Sonata N. 11, K331
  15. Reger, Variations and Fugue on theme by Mozart
  16. Schoenberg, Op. 25 (Suíte para Piano)
  17. Webern, Op. 27

10.1.2. Outros

  1. Bartók, Quarteto n. 1
  2. Berg, Lyrische Suite
  3. Berio, Sequenza I
  4. Foss, Studies in Improvisation, Music for Clarinet, Percussion, and Piano
  5. Franck, Sonata violino
  6. Ginastera, Sonata for guitar, Op. 47
  7. Koechlin, Trio for Flute, Clarinet and Bassoon
  8. Ligeti: 6 Bagatelles for Wind Quintet
  9. Mendelssohn, Quarteto de cordas Op. 80
  10. Messiaen, Le banquet celeste
  11. Pitombeira, Ajubete Jepê Amô Mbaê
  12. Poulenc, Sonata for Two Clarinets
  13. Ravel, Quarteto em Fá maior
  14. Rebelo, Disparate Bodies v2.0
  15. Schoenberg, Op. 4 (Noite Transfigurada)
  16. Schubert, Quarteto n. 14
  17. Villa-Lobos, Choros n. 2
  18. Webern, Op. 5
  19. Webern, Op. 21

10.2. Música sinfônica

  1. Cardoso, O Vôo do Colibri
  2. Bartók, Concerto para Orquestra
  3. Berg, Violin Concerto
  4. Britten, War Requiem
  5. Debussy, La Mer
  6. Gorecki, Sinfonia n. 3
  7. Holst, Os planetas
  8. Lutolawski, Livre pour Orchestre
  9. Mahler, Sinfonia n. 2
  10. Mozart, Sinfonia n. 25 Sol menor
  11. Penderecki, Threnody
  12. Ravel, Daphnes et Chloe
  13. Shostakovich, Sinfonia n. 10
  14. Stravinsky, A Sagração da Primavera
  15. Stravinsky, Petrushka
  16. Stravinsky, Psalm Symphony
  17. Tchaikovsky, Concerto para Violino, Op. 35
  18. Tchaikovsky, Sinfonia n. 5, Op. 64
  19. Wagner, Tristão e Isolda, Abertura
  20. Williams, A Sea Symphony

10.3. Banda

  1. Daugherty, Raise the Roof
  2. Espirito Santo, Dobrado n. 182
  3. Hydas, Suite for wind band
  4. ?, Dobrado Bombardeio na Bahia
  5. Copland, Fanfare for the Common Man for Brass & Percussion

10.4. Música vocal

  1. Ives, The Cage
  2. Palestrina, Missa Papae Marcelli
  3. R. Strauss, Morgen

11. Notas e frequência

12. Bibliografia

  1. Adler, Samuel. 1989. The Study of Orchestration. 2nd ed. New York, NY: W.W. Norton and Company.
  2. Antokoletz, Elliott. 2016. “In Defense of Theory and Analysis: A Critical Evaluation of the Discipline and Its Application to Bartók’s Musical Language.” Musica Theorica 1: 1–25.
  3. Brindle, Reginald Smith. 1966. Serial Composition. London: Oxford University Press.
  4. Cook, Nicholas. 1987. “A Guide to Musical Analysis.” New York and London: W. W. Norton & Company.
  5. Cope, David. 1997. Techniques of the Contemporary Composer. New York, NY: Schirmer Books.
  6. Dallin, Leon. 1974. Techniques of Twentieth Century Composition: A Guide to the Materials of Modern Music. 3rd ed. Dubuque, Iowa: WM. C. Brown Company.
  7. Espinheira, Alexandre Mascarenhas. 2011. “A Teoria Pós-Tonal aplicada à Composição: um guia de sugestões compositivas.” Universidade Federal da Bahia.
  8. Jeppeson, Knud. 1939. Counterpoint: The Polyphonic Vocal Style of the Sixteenth Century. Englewood Cliffs, N.J: Prentice-Hall.
  9. Kostka, Stefan M. 2006. Materials and Techniques of Twentieth-Century Music. 3rd ed. Prentice Hall.
  10. Persichetti, Vincent. 1985. Armonía Del Siglo XX. Madrid: Real Musical.
  11. Sampaio, Marcos da Silva, e Alex Pochat. 2016. “Aplicação de Contornos Na Composição Musical.” In Perspectivas de Interpretação, Teoria e Composição Musical, editado por Heinz Karl Novaes Schwebel e José Maurício Valle Brandão, 13–28. Salvador, BA: EDUFBA.
  12. Schoenberg, Arnold. 1996. Fundamentos Da Composição Musical. 3rd ed. São Paulo: EDUSP.
  13. Stone, Kurt. 1980. Music Notation in the Twentieth Century: A Practical Guidebook. New York, NY: W.W. Norton and Company.
  14. Straus, Joseph Nathan. 1990. Introduction to Post-Tonal Theory. Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall.
  15. Reisberg, Horace. 1975. “The Vertical Dimension in Twentieth-Century Music.” In Aspects of 20th Century Music, edited by Gary L. Wittlich, 322–87. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.
  16. Wuorinen, Charles. 1979. Simple Composition. New York and London: Longman.

12.1. Complementar

  1. How, Deborah H. 2009. “Arnold Schoenberg’s Prelude from the Suite for Piano, Op. 25: From Composition with Twelve-Tones to the Twelve-Tone Method.” University of Southern California.
  2. Rodrigues, Nelson. 1967. O vício doce e vil. Correio da Manhã, Caderno
    1. 14/4/1967 link.

Última atualização em 10/02/2021, 12:30.