MUSB15 – Composição VI

Professor: Marcos Sampaio (sampaio.marcos@ufba.br)

1. Ementa

Continuação de Composição Musical V: Estudo e prática de Técnicas Composicionais – manipulação e exploração de elementos musicais do século XX, politonalismo, pós-tonalismo, atonalismo, serialismo, aleatorismo e audição comentada de obras representativas do século XX, com ênfase em obras de pequenas dimensões.

2. Objetivos

[Em construção] Ao final do curso espera-se que o estudante seja capaz de:

  • Explorar sonoridades estruturadas a partir de contornos em suas composições
  • Compor em formato de miniatura
  • Compor para formações camerísticas diversas, como quarteto de cordas, quarteto de trombones, etc.
  • Compor para orquestra sinfônica pequena

3. Conteúdo programático

[Em construção]

4. Avaliação

[Em construção]

4.1. Nota

[Em construção]

4.2. Critérios de avaliação

Os critérios gerais de avaliação são:

  • Cumprimento do objetivo da tarefa
  • Equilíbrio
  • Capacidade de explorar recursos de composição
  • Capacidade de explorar os domínios da música (timbre, altura, duração, textura, etc.)
  • Cuidados com a apresentação da partitura (composições)
  • Criatividade

4.3. Segunda chamada

O aluno que não entregar um dos trabalhos no dia marcado terá direito a entregar na aula seguinte se a requerer até dois dias úteis após a sua realização comprovando-se umas das seguintes situações:

  1. direito assegurado por legislação específica
  2. motivo de saúde comprovado por atestado médico
  3. razão de força maior, a critério do professor.

A nota atribuída em segunda chamada substituirá a nota zero, e a falta à segunda chamada implicará na manutenção automática e definitiva da nota zero. Para maiores detalhes consultar o Artigo 115 do Regulamento de Ensino de Graduação.

5. Estrutura das aulas

As aulas são divididas em exposição de conteúdo, análise interativa de obras e orientação dos trabalhos dos alunos.

6. Cronograma

[Em construção]

Este cronograma é uma previsão e poderá ser alterado ao longo do semestre.

7. Análise

  • Brahms. Töne, lindernder Klang. Woo 28. pdf

8. Notas e frequência

Em Construção

As notas dos alunos estão disponíveis no link abaixo e serão atualizadas durante o curso:

10. Bibliografia

  1. Adler, Samuel. 1989. The Study of Orchestration. 2nd ed. New York, NY: W.W. Norton and Company.
  2. Cope, David. 1997. Techniques of the Contemporary Composer. New York, NY: Schirmer Books.
  3. Dallin, Leon. 1974. Techniques of Twentieth Century Composition: A Guide to the Materials of Modern Music. 3rd ed. Dubuque, Iowa: WM. C. Brown Company.
  4. Jeppesen, Knud. 1939. “Free Two-Part Counterpoint.” In Counterpoint: The Polyphonic Vocal Style of the Sixteenth Century, 152–62. Englewood Cliffs, N.J: Prentice-Hall.
  5. Kostka, Stefan M. 2006. Materials and Techniques of Twentieth-Century Music. 3rd ed. Prentice Hall.
  6. Moraes, Tharcisio, e Marcos Sampaio. 2015. “Relações de contornos entre elementos sonoros e visuais do jogo Super Mario Bros”. In Proceedings of SBGame 2015, 714–17. Teresina, PI.
  7. Sampaio, Marcos da Silva. 2012. A Teoria de Relações de Contornos Musicais: inconsistências, soluções e ferramentas. Tese de Doutorado. Universidade Federal da Bahia.
  8. Sampaio, Marcos da Silva. 2017. “A Teoria de Relações de Contornos no Brasil” In Teoria e Análise Musical em perspectiva didática, editado por Ilza Nogueira. 123-138. Salvador: EDUFBA.
  9. Sampaio, Marcos da Silva, e Alex Pochat. 2016. “Aplicação de Contornos Na Composição Musical.” In Perspectivas de Interpretação, Teoria e Composição Musical, editado por Heinz Karl Novaes Schwebel e José Maurício Valle Brandão, 13–28. Salvador: EDUFBA.
  10. Stone, Kurt. 1980. Music Notation in the Twentieth Century: A Practical Guidebook. New York, NY: W.W. Norton and Company.

11. Comunicação com o professor

O único meio adicional de comunicação autorizado pelo professor é o email, em horário comercial. Assuntos acadêmicos não são tratados por telefone ou mensagens em nenhuma hipótese.


Última atualização em 24/10/2019, 19:05.